fbpx

Aprender, desaprender e reaprender!

Estava ouvindo novamente esta citação de Alvin Toffler: “O analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender.”

E faço uma reflexão com você, em tempos de pandemia em que é necessário a adaptabilidade, flexibilidade, multitarefas, organização do tempo, produtividade, equilíbrio, inteligência emocional e por aí vai. São tantas habilidades que necessitamos e ainda venho com a sugestão acima: aprender, desaprender e reaprender.

Pois bem, em nossa educação e aprendizados, o que deve permanecer? Você já parou para pensar que estamos em constante mudança e precisamos aprender a todo momento e de forma ágil. O que precisamos para aprender? Tem uma ótima analogia da poeta Adélia Prado: “Nem a faca nem o queijo; eu quero a fome”, o que precisamos para aprender é o desejo.

Em quais momentos que mais aprendemos? É no mar calmo ou na tempestade? No ordinário ou no extraordinário? Podemos considerar que estamos em um tempo propício a aprender. Nós já sabemos como lidar com algumas situações adversas, mais esse impacto de guerra sanitária ainda não tínhamos vivido com tamanha intensidade. E o que podemos aprender?

E desaprender? Algumas ações feitas anteriormente deram certo, mas hoje se aplicadas podem não funcionar, estamos constantemente mudando a forma de soluções e precisamos ter ciência que nem toda mudança trará melhorias, no entanto, para a melhoria acontecer é necessário mudar e inovar constantemente.

Com estas mudanças constantes precisamos de um mindset de crescimento, inclusive alguns recrutadores utilizam de perguntas para saber como é o seu mindset, pois a capacidade de aprender costuma ter mais sucesso que a pessoa que já aprendeu tudo e só “tem” a ensinar.

A mensagem que levo desta reflexão é, por mais que tenhamos muitos títulos acadêmicos e experiências, em determinado momento alguns aprendizados precisam ser descartados e cria-se um novo aprendizado, precisamos buscar constantemente atualizações, estudando não apenas a área de atuação, pois estas sinapses são importantes para o desenvolvimento do nosso cérebro e da nossa capacidade de evoluir, as máquinas não substituem isso!

Para finalizar, vou deixar algumas sugestões para desaprender:

  • Perceba se tem algum problema que ao utilizar a mesma técnica que anteriormente funcionava, desta vez falhou.
  • Pense sobre as suas crenças, o que te impede de aprender mais, algo que você aprendeu no passado tem limitado o seu aprendizado presente?
  • Você se sente confortável com os aprendizados e capaz de resolver qualquer problema da sua área?

E reaprender:

  • Utilize de algumas ferramentas para encontrar novas soluções.
  • Evite pensar sozinho, compartilhe com alguém ou com a equipe, as ideias se complementam e isso trará soluções inovadoras
  • Pratique novos hábitos e se desenvolva continuamente.

Escrito por Fernanda Lewandowski

Write a comment

× Como posso te ajudar?