fbpx

As Melhores Práticas para Retenção de Talentos

Você já deve ter se deparado com situações de pessoas que pedem desligamento e a empresa faz uma proposta de aumento salarial para reter este colaborador. Será que esta é a melhor maneira de reter um profissional bom? Um talento que gere resultados e tem performance acima da média deve ser valorizado no desligamento?

Acredito fielmente que esta não é a melhor estratégia, vamos analisar um pouco o que pode motivar as pessoas a buscarem novas oportunidades no mercado, os motivos que levam a se desligar, às vezes, até sem outra oportunidade em vista. Se você conhece alguém que já passou por isso, me diz, a pessoa estava motivada a sair da empresa, somente pela questão salarial? Possivelmente que não, o salário pode ser um dos fatores e em algumas situações nem é um fator relevante na decisão.

Neste artigo vamos fazer uma reflexão sobre as melhores práticas de retenção de talentos, para isto, vou trazer alguns dados para embasamento da análise.

O autor Daniel Pink, renomado analista de carreira, realizou alguns estudos sobre o comportamento humano e relata em seu livro “Drive: A surpreendente verdade sobre o que nos motiva” que existem 3 fatores fundamentais para a melhorar a performance e a satisfação pessoal, e pasmem, nenhum deles é o dinheiro.

Nos estudos realizados observou-se que a recompensa e punição é uma maneira ineficiente para atividades que envolvam a capacidade cognitiva. Ela funciona apenas para tarefas mecânicas. O estudo analisado por diversos especialistas e localidades diferentes verificou que quanto maior a recompensa financeira pior foram os resultados.

O dinheiro é um fator relevante e sugere-se que o colaborador tenha uma boa remuneração a ponto de não precisar pensar no dinheiro e sim no trabalho a realizar. Assim os fatores mais relevantes, e estes sim, são fatores pelos quais as pessoas decidem ou não a permanecer no emprego são:

1. AUTONOMIA: Desejo de direcionar a própria vida, tomar decisões. Uma empresa de software disse para os programadores que tinham 24 horas para trabalhar em qualquer coisa, com quem quisessem, mas que mostrasse o resultado no dia seguinte, em uma reunião descontraída, com cervejas, tortas e quitutes. O resultado foi surpreendente, o dia de autonomia gerou a correção de diversos “bugs” nos programas e novas ideias de produtos.

2. DOMÍNIO: Desejo de ser melhor em algo, fazendo algo que importa. Pessoas fazem diversas atividades complexas de graça, de forma voluntária, dedicam tempo, estudo e doam para as pessoas, simplesmente para se aprimorar e contribuir. Isso gera satisfação.

3. PROPÓSITO: O desejo de realizar tarefas e atividades que tenham serventia para algo maior que nós mesmos. O propósito que faz a pessoa sair da cama e realizar mais. Na empresa o propósito deve ser vivido, não é o lucro que deve vir primeiro, precisa caminhar junto.

Quanto mais humano for o trato com as pessoas melhores serão os resultados, parece tão óbvio, mas acreditem, ainda hoje, em pleno 2021 vejo empresas errando no básico. A pessoa doente, internada por COVID e a empresa ligando para saber do resultado X, Y, sem nem perguntar como a pessoa está se sentindo, pressões psicológicas fora do comum.

Precisamos estar atentos às pessoas, são elas que geram os resultados para a empresa.

Em uma pesquisa recente realizada por uma consultoria empresarial, descobriram que 42% dos entrevistados buscam novas oportunidades quando sentem que as suas habilidades não estão sendo valorizadas, e não oferecem um crescimento na carreira.

A remuneração e satisfação com o trabalho não são fatores principais. Essa pesquisa ainda revelou que o salário é um dos motivos que retém o colaborador, mas ficou em última posição quando o colaborador decide sair do emprego.

Sendo assim, para motivar e reter bons profissionais é importante valorizar o trabalho dele e gerar a qualidade de vida, investir em propostas de horário flexível, carga horária reduzida, reconhecimento pessoal, metas tangíveis, oportunidades de crescimento, comunicação transparente e lideranças inspiradoras.

Vale lembrar que antes de reter talentos, é necessário um recrutamento e atração de talentos, pessoas com valores semelhantes da empresa, em consonância com os objetivos do candidato.

Quais as vantagens em reter talentos e bons profissionais?

  • Engajamento da equipe
  • Crescimento do negócio
  • Capital intelectual em constante progresso
  • Equipe produtiva
  • Evita custos de rotatividade (desligamentos e admissões)
  • Evita custos de recrutamento e treinamento de novos colaboradores.
  • Clima agradável no time
  • Atrai novos talentos

Vou apresentar um case de sucesso. No ranking das melhores empresas para trabalhar 2019, a Caterpillar liderou o ranking, mesmo com uma equipe de mais de 4 mil colaboradores o índice de turnover não ultrapassa 1%, veja abaixo algumas ações e práticas da empresa:

  • Avaliação de desempenho 360º;
  • Centro de treinamento e desenvolvimento com cursos online e presencial;
  • Job rotation;
  • Programas de segurança do trabalho;
  • Diversidade, sem preconceitos;
  • Oferecem serviços para reabilitação de dependentes químicos;
  • Colaboradores e dependentes com doenças crônicas recebem medicamentos da empresa gratuitamente e acompanhamento médico periódico;

Por fim, vamos a conclusão de como reter, já adianto que não existe formula ideal, sempre que lidamos com pessoas existirá muitas variáveis, pois o que funciona em uma equipe, não funciona com outra, o que uma pessoa valoriza a outra não valoriza. Assim como todos os processos de gestão de gente, é necessária uma avaliação diante da realidade, cultura da empresa, necessidades dos colaboradores e a partir de pesquisas internas planejar uma ação para melhorar a retenção dos talentos.

Escrito por Fernanda Lewandowski
Associated Partner da eccho HR Specialists

Write a comment

× Como posso te ajudar?